É basicamente isto.

É basicamente isto.

3 de abril de 2013

E o medo que eu tenho das trevas?

Já todos percebemos, por esta altura, que há uma nuvem negra e enorme, carregada de tudo o que é mau, a pairar sobre este País. Já cá anda há algum tempo, mas esta semana, ou eu estou doida, ou a nuvem está mais carregada, mais negra e prontissima a desabar nas nossas cabeças.

Podia estar só a falar daquela que me valeu a molha da minha vida esta manhã, ou dos trovões desta noite, mas não. Há coisas que me assustam bem mais do que estas duas. Por muito que ande na ponta da madeixa com este tempo que nos faz quase esquecer que vivemos num País em que o clima até é das boas coisas que temos, esta semana isso não me afecta tanto. Esta semana, ao que tudo indica, teremos a pronúncia do Tribunal Constitucional sobre o Orçamento de Estado. Depois do tempo - absolutamente rídiculo, como se estivesse em causa uma decisão sobre a cor a usar na próxima estação - que esta decisão está a demorar a ser tomada, quer parecer-me que quase ainda vamos desejar que este assunto ficasse esquecido. Acho que a maioria de nós ainda nem se capacitou do problema que aí vem, se, ao que tudo indica, algumas normas forem chumbadas. A coisa está negra, claro que está, e este Orçamento arrasou com os Portugueses. Mas se há altura em que a Lei de Murphy se poderá aplicar em toda a sua plenitude, é esta. É que, não duvidemos por um só minuto, as coisas podem piorar. Por incrível que pareça, podem piorar e muito.

Aguardo, com um receio que dava tudo para não ter, os próximos capítulos desta longa- metragem.


24 comentários:

  1. Ahhh mas o Pedrinho,o Miguelito e o Gaspazinho não vão permitir o TC estragar o seu fabuloso trabalho. E se isso acontecer... vou seduzir os magistrados que eu gosto de homens com eles no sítio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, acho que o melhor é contarmos com o teu poder de sedução! Go Calvin! ;)

      Eliminar
  2. Vamos mesmo aguardar pelas cenas dos próximos episódios :) Às vezes isto parece mesmo uma novela... ou um filme de terror!
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma espécie de "Saw", que não acaba...

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Claudia, o mais importante nestas alturas é não entrar em "espiral depressiva". Senão a dada altura, somos nós próprios o maior peso que temos de carregar e quem nos empurra para baixo. Passamos a viver do medo, para o medo e em função do medo, e isso contagia-se. Autobloqueamo-nos.

    A inteligência humana, ou seja nós próprios, é capaz de tudo, inclusive de encontrar formas de ultrapassar as crises. Eu acredito que melhores dias estão a começar agora mesmo. Agora mesmo sinto-me mais otimista do que há 5 minutos atrás.

    Em relação ao tribunal constitucional, de certa forma representa a lei e num país democrático, a lei é suposta ser cumprida. Caso contrário é assumir de vez que vivemos numa "ditadura da dívida", acima de todos os outros poderes. Dito por mim que acho um pouco abusivo um tribunal assumir responsabilidades ao nível da gestão orçamental.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não entro em espiral depressiva, felizmente estou longe disso. Mas que estou muito preocupada com os próximos tempos, estou. E repito, acho que não calculamos a magnitude do que pode vir aí.

      Quando ao TC, percebo o que dizes. Era suposto nem sequer existirem normas eventualmente inconstitucionais num orçamento de Estado, mas foi aqui que chegámos.

      Eliminar
    2. As expressões 'de certa forma' ou a Lei é supostamente cumprida' deixa-me perplexa... A Constituição, concorde-se ou não com ela é para ser cumprida, não pode é deixar de o ser. A Constituição não se supende - nem em tempo de guerra ( lembre-se inglaterra durante a 2º guerra mundial)- Não estamos a falar de 'uma lei', mas sim da Lei. E o tribunal Constitucional não pode ser encarado como um partido politico...
      Além que o tribunal só se pronumciou porque foi solicitada o seu parecer...
      Tudo isto me parece surreal...

      Eliminar
  4. Destas tervas ou desta torvoada devemos ter medo mesmo, mas é bom termos a ideia clara de que as coisas vão ficar piores, disso não tenho a menor dúvida, :(

    E vai ser pior que um filme de terror, :(

    beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também tenho poucas dúvidas, infelizmente :/ Aguardemos...

      Beijinhos

      Eliminar
  5. Opá, calma que a vida é curta e pelas últimas declarações do maior partido do governo, de que o primeiro-ministro não está a pensar demitir-se, é porque dos amigos do TC já deve ter havido a fuga de informação providencial de que tudo vai ser decidido a pedido e a contento "das partas", ainda que tal decisão represente para o resto dos portugueses mais um pontapé "nas partes". :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chegámos ao ponto em que tenho dúvidas que seja melhor alterar o que já está "decretado", porque isso pode trazer medidas ainda mais difíceis de suportar. Ou seja, as normas merecem uma declaração de inconstitucionalidade, mas e depois?

      Eliminar
  6. Eu queria mesmo era sair deste país!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não queria, mas cada vez mais percebo que não devo dizer "nunca"...

      Eliminar
  7. Não me tenho debatido grande coisa com esse assunto. A verdade é que ainda estou protegida na conchinha que é a casa dos meus pais, apesar de ser já uma trabalhora, com uma vida relativamente separada da deles. Ainda assim protegida.

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dá algum conforto, sim :) Pode ser que esteja só a ser pessimista e não seja nada. Pode ser até, que ainda tenhamos Verão este ano, assim mesmo na loucura! :)

      Beijinho

      Eliminar
  8. Não te esqueças duma coisa - em Portugal foi escrito um grande Tratado da Política. Como os outros, também ele reflecte o espírito do povo do qual nasceu. A República de Platão a alma onírica e filosófica dos gregos; o Leviatã a tendência imperial e mercantil dos ingleses; a nosso também reflecte historicamente Portugal, as suas gentes e instituições: tem o nome de A Arte de Furtar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com a consequente arte do "aguenta e não chora".

      Eliminar
  9. mesmo longe vivo com o coração apertado com a situação do país :( vamos lá ver o que aí vem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito! É o nosso País sempre, onde temos família, amigos...

      Eliminar
  10. Parece que amanhã é o dia...

    Já oiço o rufar de tambores...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o outro a demitir-se hoje...coincidência?

      Eliminar
    2. Hummm...Isso parece-me que teve mais a ver com o embuste da sua licenciatura. Ao que parece, vai à vida e jà vai tarde...tal como ele...

      Eliminar

Elaborai à vontade a tua teoria.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.