É basicamente isto.

É basicamente isto.

2 de julho de 2015

A Margem Sul, esse monstro de 10 cabeças.

Começo por esclarecer que, aconteça o que acontecer, venham os investidores (sim, sim, pois!) que vierem, dê lá por onde der, CM nunca, repito, NUNCA, usará a denominação Lisbon South Bay (arrepios, daqueles maus, enquanto escrevi esta frase) para se referir à sua Margem Sul. A Margem Sul é a Margem Sul, e assim continuará a ser chamada, muito orgulhosamente. Gostamos cá pouco  desta pompa, logo nós, a ralé.

Nesta altura do Ano - um pouco mais do que nas outras - levantam-se as vozes contra a Margem Sul, as pessoas enchem-se de nervos e as coisas azedam. Estas pessoas são aquelas, leia-se, que todo o santo fim de semana rumam às praias da Margem Sul. Aquelas que passam horas nas filas de trânsito, que juram que não voltam a meter lá os pés, mas que lá vão, invariavelmente, no fim de semana seguinte. É tudo muito mau, dizem elas, é inacreditável como tanta gente gosta daquilo, não existem condições, não temos infraestruturas suficientes, uma pessoa agasta-se no trânsito surreal que  apanha, e ainda paga parques de estacionamento.

Eu rio-me muito com isto. Tem graça. Não vou sequer enumerar as qualidades da Margem Sul - o que, já agora, só para não esquecer, justifica as filas e filas - pela milésima vez. Não há volta a dar. Esta gente tem razão. Toda a gente sabe que em Lisboa nada disto se passa. Não existem filas. Quais filas? Lisboa é uma cidade onde se circula perfeitamente à vontade, sobretudo pela manhã e ao final do dia. É um verdadeiro passeio relaxante no parque. Não há cá congestionamentos. Também não existem filas à porta dos sítios da moda. Nada disso! Sempre que abre um restaurante, está às moscas. Não é preciso esperar umas horas , com o estômago colado às costas, para jantar. Também é facílimo encontrar um lugar de estacionamento. E mais! O estacionamento é gratuito. E quando, raramente, não é, é barato! Baratissimo. Dá vontade de deixar ali o carro estacionado o resto do mês, só para aproveitar a pechincha. Da mesma forma, dá gosto assistir a qualquer concerto. Não há uma fila de trânsito, nem uma fila à porta. Nada. É um vazio, dá gosto passear nas imediações dos festivais e pavilhões de espectáculos, nestes dias. Maravilha. 

Podia continuar o exercício, mas, sem mais demoras, dou o objectivo como cumprido.

PS- E sim. Por muito que custe e faça doer um bocadinho o ego, aquele que foi considerado o 2º melhor restaurante de comida japonesa fora do Japão,  está localizado na Margem Sul. Mas não precisam de lá ir. Já é suficientemente difícil reservar mesa para jantar. E as filas? Nem vos conto.




13 comentários:

  1. A ideia do Lisbon South Bay é, só de si, motivo para rir. Não sem que antes se fique desconfiado. O nome é uma coisa a roçar o surrealismo.
    Está bem, a situação geográfica do que por enquanto se limita a um projecto, sabe Deus se com pernas para andar, é na margem sul. Convém esclarecer os iluminados que a margem sul, se for a do rio Tejo, se extende até ao algarve. Mas isso só, de facto, os iluminados, do projecto e não só, sabem. Porque, se fizermos 'rewind' à nossa memória, alguém disse coisas piores da margem em causa. Lembra-se daquela coisa dos camelos? Eu recordo-me perfeitamente. Adiante.
    Este projecto, que para mim disso não passará, pode caber na nossa margem - sim, nasci e habito deste lado, o nosso, do majestoso Tejo. O que não cabe é a vaidade, desde logo indiciada pelo nome do mesmo. Lisbon South Bay não, obrigado. Escolham outra margem, outros ares. Nós, agradecemos.
    Nesta margem, a do sucesso, há filas, muitas. Feita uma análise realista, a culpa é da margem norte, de quem de lá vem para visitar a cidade, para fazer praia
    e, não menos importante, para quem segue para o sul ... via esta margem.

    Falou a CM, em comida japonesa. Atrevo-me a correr o risco de conspurcar a zona com mais viaturas, como se não fossem suficientes aquelas que ao serviço do turismo por aqui andam e durante todo o ano. Creio que estamos a referir-nos ao mesmo local, só pode. Na Rua Abel Salazar existe o melhor sushi. É só ligar (não digo o número) e marcar ... com antecedência.
    Curiosamente, o sítio é um hotel. Já teve dois nomes - Almada Business Hotel e Almada-Lisboa Hotel, imagine-se - e prepara-se para entrar na onda Mercury (Lisboa Hotel). Em plena Almada, um hotel com nome de Lisboa. Interessante.

    Até os estrangeirismos gostam de Almada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então não me lembro dos camelos? Foi um momento muito feliz, esse desse senhor...
      É precisamente desse Japonês que falo. De chorar por mais.

      Hoje encontrei pela net uma imagem que já muito me fez rir, sobre Lisboa : Almada North Bay. Parece-me justo.

      Eliminar
  2. Já te disse que um dia vou acabar a viver na margem sul...Aliás, na margem certa do rio, não já?

    Bom FDS...nessa margem!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já disseste, já! Eu é que não acredito... ;)

      Eliminar
    2. AUCH...directamente no estômago!!

      Eliminar
  3. O "tuga" é um snob do caraças, basta ver a obsessão com os títulos académicos, todos querem ser 'dótores' mas depois falta-lhes 'berço'... E o como eu já disse uma vez, a propósito de um comentário que uma criatura fez sobre o facto de uma das zonas em que vivi foi em Madrid foi em Chueca, que – para quem não sabe – é o bairro gay de Madrid: "As pessoas não são o local em que vivem ou o carro que conduzem, não são as roupas que vestem ou as festas que frequentam."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem giro, a Chueca! O que me diverti por lá :)

      Um dos maiores sinais de ignorância do ser humano é continuar a julgar os outros pelo que têm, pelas raízes, pela profissão...por todas as coisas, menos as que importam, ao final do dia.

      Eliminar
  4. Margem Sul é Margem 'S'erta!

    Arre... manias de vedetas da capital! Inbejosos de mérrde...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mai nada, Leoa!

      (eu até gosto muito de Lisboa, mas os lisboetas...bom. Não vou generalizar, mas, catano. que dose de paciência que é preciso ter!)

      Eliminar
  5. Só pelo facto de ter choco frito já vale bem a pena a Margem Sul. Sou uma vendida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahhh, saudades do Choco Frito! Da Casa Santiago, já agora! E isto não é publicidade :)

      Eliminar
  6. Tão ridículo como "Allgarve". And I rest my case!

    ResponderEliminar
  7. "Lisbon South Bay" ?? Ca foleirice!!!

    ResponderEliminar

Elaborai à vontade a tua teoria.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.