É basicamente isto.

É basicamente isto.

30 de novembro de 2012

A vida ainda é bela? Útil para quem tem vouchers.

Se fazem parte do grupo de palermas (como eu...) que têm vouchers desta falecida entidade para utilizar, e não conseguem que uma só alma vos aceite o voucher,  vejam esta informação. Não sei se será mesmo só assim, ou se existem outras opções, mas esta é a informação que mais me tem sido passada.

Seja como for, sempre será uma alternativa diferente a usar o dito para acender a lareira e guardar a caixa para jogar frisbee na Praia...

És "lindo"!

Tenho uma verdadeira adoração pela personagem "Phil Dunphy" da série "Modern Family". Costumo dizer que é o marido que não me importava de ter. O homem faz-me rir, à séria. É todo o conjunto composto pelas expressões e pela personalidade. Simplesmente adorável.

Frases memoráveis no Phil (e que venham mais):











29 de novembro de 2012

A Padaria Portuguesa

Já não falava de comida há quê? Meia horinha? Já tinha lido algures (e agora não me recordo mesmo onde, e gostava de recordar porque essa pessoa merecia fazer umas 50 flexões para não voltar a dizer coisas sem sentido) que afinal os produtos da Padaria Portuguesa não eram assim tão bons e que era tudo muita parra e pouca uva. E sempre que passava à porta ali no Largo do Camões, olhava de esguelha e pensava 3 vezes e nunca tinha cedido. Até ontem. E posso dizer que aquilo não é bom, aquilo é muitooooo bom! Mesmo com jantar marcado para pouco mais de 1h depois, experimentámos o Pão de Deus e uma fatia de bolo (que agora me arrependo de não ter perguntado o nome) e qual deles o melhor.
Saí dali com um dilema enorme em mãos : dar graças ao senhor por não existir nenhuma na minha zona, ou chorar pelo mesmo motivo?
A quem não conhece, recomendo que não perca mais tempo. Vão até lá sem sentimento de culpa e (a não ser que sejam como eu) pensem que "um dia não são dias".

PS- isto não é MESMO um post de publicidade. Nenhum post deste blog é. Não só não sou paga para falar sobre os sítios, como até pago tudo o que consumo.







28 de novembro de 2012

CM, a descobrir coisas desde 1979

Eu já tinha percebido que pelo menos metade do trânsito que aguentamos nas horas de ponta, se deve à pura azelhice dos encartados deste País. Ah pois! AZELHICE. E não é exagero meu. Quem conduz em hora de ponta, sabe que isto é uma realidade. Há os que têm um vagar que não se entende, há os que travam por tudo, há os que não sabem que podem utilizar a faixa mais à direita, há os que provocam acidentes sem sentido, há os indecisos, os mirones. Há de tudo. Ora, juntemos milhares de pessoas destas todas as manhãs e todos os finais de dia nas estradas portuguesas, e voilá! Metade do trânsito absurdo está explicado.
Mas, mais do que isto e porque esta conclusão não é assim tão brilhante, talvez, constatei uma outra que me faz um mal terrível aos nervos. Estão a ver o trânsito na portagem da Ponte 25 de Abril? Esse. A maioria desse trânsito, não é causado pela lentidão da pessoa que recebe aqueles "míseros" 1,55€  de cada condutor. Não, não, não. A maioria dos minutos que perdemos ali, são responsabilidade daquelas pessoas (se isto se entende) que estão uns bons 5/10 minutos na fila, mas, choquemo-nos todos (!), não se lembraram de procurar esse mísero 1,55 € até ao preciso instante em que chega, com espanto(!), a sua vez de pagar. Não, isso é coisa que não passa naquelas cabeças. Sabem que estão ali parados por algum motivo, mas qual será? Há quem leia, quem se penteie, quem se pinte, quem fale ao telemóvel, quem mande mensagens, quem tome o pequeno almoço. Mas são raras as almas que se lembram de ter o pagamento pronto. Reparem nisto. O que dizer destas pessoas? Quem são e para onde vão?
E eu, que estou cansada de perder, pelas minhas contas, pelo menos 5/10 minutos do meu dia numa fila de trânsito por causa desta gente, espero que depois deste post, se faça mais atenção a esta situação. Não me obriguem a andar com cartazes colados no carro com uns colossos "É favor largar a sande de presunto e preparar pagamento! Obrigada".

Já agora, e uma vez que falo da portagem da ponte 25 de Abril, deixo também uma mensagem simples aos motociclistas : "Metam-se na fila". E podem praguejar à vontade, e chamar-me cabra loira. Bring it on.

PAROU!!

Eu falhei. Só posso ter falhado em algum momento. Hoje, possuída que fui pela curiosidade em saber o que se pesquisa por aí para vir dar a este estaminé, descubro que várias pessoas encontraram o "Na Ponta da Madeixa" com a seguinte pesquisa de palavras :

"mangalhos com acuçar trailer"

PERDÃO?!?

Opá, isto é um blog decente e decoroso! O que é que terá falhado?

Digam-me que isto também acontece nos vossos blogues...

27 de novembro de 2012

Morria. Eu M-O-R-R-I-A de susto!

Adoro filmes de terror, adoro aqueles momentos de susto que são tão previsíveis e que mesmo assim ainda nos conseguem assustar, ando morta por ver a "Actividade Paranormal 4" e até me costumo rir de quem morre de medo e não os consegue ver.

Mas...isto é tudo muito engraçado porque estou do lado de cá do ecrã e sei que é um filme (por muito que depois de um Actividade Paranormal nunca seja muito fácil adormecer). Isto para dizer , com toda a certeza do mundo, que o meu pobre coração não sobreviveria a isto! É que nem pensar. A miúda está assustadoramente bem caracterizada...

Realizadores dos programas de TV que me estão a ler : não se atrevam. Eu não sobreviveria, vão por mim.



Pai Natal, Pai Natal

Queridos leitores,

Aproxima-se uma das minhas épocas preferidas ( a árvore está feita quase há um mês, o que diz muita coisa sobre o meu sentimento em relação ao Natal), e alguns de vocês começam de certeza a preocupar-se com a falta de idéias para o meu presente. Não temam, eu ajudo. Até ao Natal, prometo ir deixando aqui algumas dicas e muitos pedidos descarados.
Deixo hoje alguns que encontrei por aí, e que fazem parte dos meus presentes preferidos : objectos (úteis ou puramente decorativos) originais. Quantos mais, melhor!






E o meu preferido:


26 de novembro de 2012

A conta chegará a Alvalade, não duvidem.

Estas são as palavras de uma mulher à beira de um ataque de nervos, depois de já ter passado por diversos outros ! Terapia! Terapia é o que vou ter que fazer graças à brincadeira que é ouvir os relatos dos vossos jogos, minha cambada de nabos disfarçados de jogadores de futebol! Sim, que uma pessoa não é rica e não tem aquele canal que transmite os vossos jogos, mas uma pessoa gosta do Clube o suficiente para ouvir os relatos! E esta, hein? Mas essa mesma pessoa tem que ser doida para aturar a vossa instabilidade. É todo um nível de bipolaridade ao alcance de poucos. Então mas começamos o jogo sem fé, ou com muito pouca, na vossa vitória, passamos para o puro desconsolo ao primeiro golo sofrido, pela pura vergonha e falta de ar ao segundo golo que nem S.Patrício consegue evitar, esboçamos um sorriso -que até pode ser de pura incredulidade- quando marcam o primeiro golo, entramos num universo paralelo quando logo de seguida marcam o segundo, começamos a acreditar que o Leão vai voltar às vitórias, para acabar outra vez o jogo só com um empate? Então mas brincamos? Mas os melhores adeptos do Mundo só merecem isto? Ide catar-vos pá! Ide apanhar batatas ou coser meias rotas! Já não sei se devo festejar ou não os golos que marcam, acham que isto é alguma coisa? É preciso fazer muita merda coisa mal feita para baralhar uma adepta como eu, mas vcs conseguem! Uma coisa vos garanto e deixo aqui escrita para a posteridade : poderei um dia precisar de terapia, poderei ficar choné de todo, poderei ficar sem unhas e ter todos os cabelos brancos, mas não serão 11 coxos (vamos fingir que não há mais no banco...) como vocês e mais um idiota como Presidente, a fazer-me perder o meu amor ao Clube. Sporting sempre!! Perceberam? Podem parar com a brincadeira, que esta aqui não vai a lado nenhum.


Dia perfeito.

Este era o dia perfeito para não ter agenda. Para não ter despertador, para não ter horários, tarefas, responsabilidades. Nada. Só 24 horas de puro nada. De torradas com geleia de morango. Ou Scones, vá. (nem era suposto este post falar de comida, mas isto vai lá sempre dar, para terem noção do problema que "temos em mãos"). Para meter em dia a leitura. Para pegar nos livros e revistas amontoados. Para ouvir música. Talvez para hoje fosse perfeito o Best Of da Diana Krall. Para não ouvir notícias. Para não ouvir comentários infelizes e lidar com gente mal educada. Para ter sossego. Para ver o "África Minha" (sim, é quase um pecado nunca ter visto este filme. E olho tantas vezes para ele, mas ando para trás quando percebo o número de minutos que isso implica. É filme para ver de uma só vez. Um dia). Para rever o "Eternamente Amigas", que é um dos filmes mais bonitos de sempre, aqui entre nós.
Mas não. Hoje não é dia disto. Há trabalho, questões, dilemas, horas devidas à cama. E para ajudar ainda há o jogo do meu Sporting.

Resta-me não esquecer que é dia de visitar a pequena M., que é só a pessoa mais especial que existe e que me fará esquecer isto tudo.

Era capaz de dar muito nas vistas, mas fosse eu um gatinho pequeno e fofo, e já me tinha arrumado assim:



23 de novembro de 2012

A ligação directa entre o fds e a Gula.

Sexta feira chegada, e eu já temo que o fim de semana seja idêntico aos anteriores. Já prevejo o pecado da Gula a ser praticado em toda a linha. Há em mim, uma especial propensão para os disparates gastronómicos ao fim de semana. Durante a semana a coisa ainda vai, com disparates pequenos e escassos, mas em 3 dias (sim, porque a sexta feira já conta) estrago tudo. Parece que sou possuída por um qualquer demónio que voltou à Terra com a missão de me fazer comer como se só existisse comida de sexta a domingo. Quando juntamos o prazer que a comida me dá com estes 3 diazinhos, obtemos uma receita infalível para a desgraça. Uma desgraça que só não é maior porque tenho alguma sorte. Costumo dizer que se engordasse de forma proporcional ao que como, estaria irreconhecível. Acredito até que quem não me conheça bem, imagine que passo os dias a comer saladas, sopas, peixe, talos de couve, yogurts e afins. Nada disso. Faço parte, por ex, daquele grupo de pessoas que acha um desperdício ir a um restaurante e pedir uma salada (sim, eu acredito que existam saladas boas, mas estou fora disso). Para me lembrar da última vez que comi peixe, teria que fazer aqui um esforço que a esta hora da manhã ainda não consigo. E as sopas, para terem uma idéia geral do problema que tudo isto é, como quase obrigada e quando a consciência já me pesa de tanto disparate feito à "linha".
Dito isto, e apesar de parecer cedo, uma das minhas resoluções para 2013 (e seria a primeira vez que cumpriria uma, mas não custa acreditar) será, certamente, fazer uma alimentação mais saudável e regrada. Um dia uma pessoa tem que ganhar juizo. Já não tenho 20 aninhos e eles já não voltam...

PS- e depois a vida tens destas coisas aqui em baixo e uma pessoa tem que ser tão forte, que até fico cansada só de tentar. E quando estou cansada tenho fome. E quando tenho fome...











22 de novembro de 2012

Isto sim, é o fim do Mundo #2

Quis a vida (e as pessoas talentosas que este País produz) que este dia não acabasse sem uma espécie de 2ª parte daquele que estou certa que é o verdadeiro fim do Mundo. A loucura atingiu os Portugueses e veio para ficar. Atingiu pessoas de todas as faixas etárias. Desde mulheres de 53 anos, até crianças de 13. Ou terá, pelo menos, atingido os Pais.
Alertada hoje por duas Amigas (e à segunda lá percebi que o assunto é sério), tomei conhecimento desta situação que temo que seja caso para análise por parte da Segurança Social. Estivessemos nós a falar de coisas positivas, e diria que "filho de peixe sabe nadar". Não sendo o caso, fico-me por um "quem sai aos seus não degenera".
Tendo em conta a velocidade a que me chegam as notícias de desgraças que estão a acontecer neste País, temo que o fim do Mundo se aproxime a passos ainda mais largos e que não cheguemos a Dezembro. Por alguma razão eu, sempre precavida e perspicaz, fiz a árvore de Natal em Novembro...esta alegria já ninguém me tira.


Isto sim, é o fim do Mundo.

Anda tudo por aí a dizer que o fim do Mundo chega a 21 de Dezembro, mas isso é gente que não viu esta reportagem. Eu digo que já chegou. Isto tem que ser o fim do Mundo.
Esta "senhora" já nos tinha presenteado com momentos de pura loucura, já nos tinha arrancado gargalhadas, já tinha merecido todo o nosso espanto e incredulidade. Mas ultrapassou-se! E isto nem era tarefa fácil, mas conseguiu. Pessoas, apresento-vos a nova versão desse ícone da insensatez, da loucura e da imaginação sem limites, que se chama Pomba Gira! O melhor mesmo é verem o video e confirmarem por vocês, mas prepararem-se (rufar de tambores) porque a Pomba Gira está grávida aos 53 anos! E se isto por si só não fosse já uma espécie de milagre, o Pai da criança é o nosso CR7!! Pumba Irina, vai buscar. Foste "papada" pela Pomba.
Fico sempre na dúvida entre a tristeza profunda por assistir a relatos destes, ou pela imensa gratidão a estas pessoas pelas gargalhadas que me permitem dar!

Riam também, que rir é o melhor remédio. Eu ajudo.

21 de novembro de 2012

Jura!!!

Perante este facto chocante de conclusão difícil para a maioria, pergunto eu : e agora? Consequências? Deixem estar. É uma pergunta retórica.


Portugal também é isto.

Portugal não tem só coisas más, e portugueses maus. Não tem só gente incompetente. Há portugueses que nos enchem de orgulho, e, neste campo, este nome é incontornável : José Mourinho. O Special One, é nosso. O treinador mais admirado no mundo, nos tempos modernos, é nosso. Vai hoje tornar-se o treinador mais jovem de sempre, a atingir o 100.º jogo na Liga dos Campeões. E já ganhou por duas vezes essa competição. Damn, isto não é mesmo para todos. Há quem lhe chame arrogante, convencido, mal educado, pedante. Não acho. Acho que sabe a qualidade que tem e não aceita que outros lhe digam como fazer ou quando fazer o seu trabalho. Tem uma carreira que lhe permite isto. Tem um currículo que lhe dá o direito de dizer que é bom. Porque é mesmo,caramba. Adoramos um bom falso modesto, não é? Pois eu não. Gosto da postura deste senhor. Um orgulho.

Como se isto tudo já não bastasse, ainda traz brinde. É um charme de homem. Também não há treinador que, nesse aspecto e na minha opinião, o ultrapasse. Mourinho ganha em todas as frentes. O chamado pacote completo.

E como diz o próprio, "Por favor, não me chamem arrogante só porque digo a verdade. Sou campeão europeu e penso que sou especial." És Mou, és.




20 de novembro de 2012

Se eu tivesse uma lâmpada de Aladino...

...assim logo à cabeça há uma série de coisas que tinha para pedir ao génio : a proibição do despertar antes das 9h da manhã; o fim dos problemas informáticos, que passariam a ser resolvidos com um estalar de dedos; o fim da meia branca ; um choque eléctrico automático para todas as pessoas que saem do WC sem lavar as mãos; ordem de silêncio nos transportes logo pela manhã; a chuva só durante as noites; nem mais uma música do Alboran nas rádios portuguesas; o fecho das portas nos Cinemas depois do filme começar (à semelhança dos teatros); a sesta nos locais de trabalho; um campeonato para o Sporting e, claro, last but not the least, o fim da celulite.

Sim, são coisas que aparentam não ter grande importância, mas acreditem que todas me dariam um jeitaço. É uma lista egoista. O génio é meu.

19 de novembro de 2012

Fato de treino. A sério?

Há quem se sinta nostálgico quando se diz que a moda do fato de treino morreu. Eu não. Eu sinto pura alegria quando passo meses, anos, sem avistar uma alma com um fato de treino a pavonear-se por aí.
Não digo que devem todos queimar os fatos de treino que resistem lá por casa, ou que os fabricantes devem dedicar-se à apanha da batata. Mas só me ocorrem duas situações em que me parece que faz sentido envergar o dito : enquanto se faz desporto e em casa em momentos de pura preguiça. Fora disso, é pura loucura. E este é um "poblema" tipicamente masculino. Em 100 pessoas que vestem fato de treino para sair de casa, umas 95 devem ser homens. Dá para explicar isto?
Já me era difícil compreender que um homem, ao final de semana, por ex, queira dar um passeio com a família e se lembre que bom mas mesmo bom, é vestir aquelas duas peças e ir mundo fora. Sem medos. Mas este fim de semana, a questão ganhou outra dimensão quando vi uma mulher linda, bem vestida, arranjada, a jantar com um homem que vestia...o fato de treino, claro! Dei por mim a pensar que há homens que não têm noção. Não sabem que geralmente gostamos de estar o mais apresentáveis possível para um jantar, para uma saída a dois, que isso até dá trabalho, que gastamos muitas energias nessa preparação porque, não sejamos hipócritas, todas gostamos de estar bem. E vocês homens, também podiam seguir este racíocinio. Entrar num restaurante com um homem de fato de treino? A sério? Há sítios para tudo e eu, peço desculpa aos homens fãs do fato de treino e do seu conforto, tenho certeza que um restaurante não é um deles.

PS- o homem até era um dito "famoso" da nossa praça. Não vou identificá-lo, não vá o moço sentir a imagem lesada e querer pedir alguma indemnização que depois não posso pagar.


16 de novembro de 2012

Portugal saiu na rifa.

Já não bastava toda a energia negativa dos últimos tempos, a crise, a austeridade, os confrontos. Ultimamente parece que até a Natureza está "zangada" com este País. São calamidades atrás de calamidades. Mais uma. Um tornado no Concelho de Silves. Ao ver as imagens de destruição, é impossível não pensar na capacidade que um fenómeno da natureza tem para, em escassos minutos, destruir tudo aquilo que as pessoas conseguiram numa vida. Assustador. A Natureza tem tanto de belo, como de aterrador. É tão capaz de proporcionar momentos de prazer, como de terror.

 Ao pé disto, somos mesmo pequeninos. Impotentes.

Ainda a violência do dia 14/11/2012...

Ontem não consegui ter o tempo necessário para partilhar, na totalidade, a minha opinião sobre a forma como terminou a manifestação frente à AR no dia 14 deste mês. Não é uma opinião consensual, não é um tema fácil, não é linear para qualquer um dos lados. Antes de avançar, que fique claro que respeito todas as opiniões contrárias e que percebo os argumentos e fundamentações de todos. Não sei se alguém terá razão a 100% sobre este assunto, mas duvido que sim.
É absolutamente inaceitável o apedrejamento sofrido pelas forças policiais. Além de vergonhoso, não faz o menor sentido. Não é, sequer, uma forma de luta. Não só porque não acrescenta nada, não traz qualquer benefício, mas também porque as forças policiais não são responsáveis pelo estado do País . As forças policiais têm como função manter o Povo em Segurança e não devem ser encaradas como o inimigo. Estão a cumprir funções quando protegem os Passos, os Gaspares e os Cavacos deste País. E é assim que é suposto ser. São pessoas que ali estão, de carne e osso. Não podem ser apedrejadas durante mais de uma hora, apesar dos capacetes e proteções que têm. Isto NUNCA deveria ter acontecido e não é defensável. Julgo que todos concordamos com censurabilidade deste comportamento.
Quando vi as imagens pela primeira vez, não as compreendi bem. Vi muitas pessoas que não parecem oferecer qualquer ameaça, a sofrer a carga da polícia. Continuei a ver imagens e a minha reação à carga exercida, acabou por ser a mesma que tive em relação à violência contra as forças policiais: NUNCA poderia ter acontecido. Reagir tão tarde para reagir desta forma, é desastroso. Se tivessem reagido antes, e em concreto em relação aos agressores, as coisas poderiam ter sido muito diferentes. Os agressores, em última instância, estavam a colocar em causa a segurança de TODOS os manifestantes ordeiros, de todas as pessoas que passavam na zona (ou porque ali residem, ou porque ali trabalham, etc). Esperar aqueles minutos todos para depois reagir com tamanha violência indiscriminadamente? Parece-me tão inaceitável como a conduta de quem apedreja. Não compreendo como é que um “pequeno” grupo de “pessoas”, não é travado pela força policial em tempo útil e de forma eficaz. Precisavam de reforços? Pois que os pedissem. Segundo é assumido, existiam até agentes infiltrados ou policias à paisana no Local. Seria assim tão difícil detectar em concreto qual o foco de agressão e agir?
Os ordeiros podiam ter abandonado o local. Pois podiam. Eu teria abandonado, certamente. Mas o facto de saber que teria virado costas, não me impede de compreender que as pessoas que não estavam a infringir qualquer Lei ou conduta cívica, tenham optado por ficar e por achar que não devem pagar todos por uma minoria. Ou tenham até acreditado que estavam em segurança porque as forças policiais controlariam a situação da devida forma. Segundo relatos de muitas pessoas, a ordem para dispersar nem terá sido audível em todo o perímetro. É possível, as manifestações não costumam ser pautadas por silêncio.
Mas ainda que achemos que todos deviam ter abandonado aquele Local quando a situação tinha tudo para se descontrolar, não nos podemos esquecer que muitas pessoas apanhadas no meio da carga policial, nem ali tinham estado. Não tinham como ouvir a ordem para dispersar. Voltavam para casa, ou, por qualquer outra circunstância da vida, passaram ali naquele momento.
Vi, e viram todos, imagens de pessoas já no chão que continuaram a ser agredidas. Pessoas a ajudarem pessoas que estavam no chão, a serem igualmente agredidas. Pessoas de idade avançada a levarem bastonadas na cabeça, com os braços no ar. Porquê? Porque os polícias cegaram? Podemos ter forças policiais que cegam? Eu gostava muito de ser cantora, mas não tenho voz. Nem nunca vou ser Pintora, porque também não sei pintar. Não poderia ser Médica, porque não tenho estômago para ver sangue. É preciso perceber se as forças policiais cumprem os requisitos que a profissão exige.
Não posso condenar mais a violência dos animais que desencadearam tudo isto, do que a violência da carga policial exercida. EU não posso. Não consigo. Seria, para mim, pouco coerente. NENHUMA das duas acções deveria ter acontecido. Toda a situação foi mal gerida. E não, não me pareceu minimamente proporcional, como nos vem dizer o responsável pela operação. Vejo muito pouca (ou nenhuma) proporcionalidade nas imagens.
Se isto foi a melhor reação possível, espero que não cheguemos ao dia de ver a pior. E espero, honestamente, estar enganada quando digo isto, mas acho que esta desproporcionalidade terá como consequência muito mais violência contra as forças policiais nas próximas Manifestações.


15 de novembro de 2012

O mais Sexy do Mundo.

Vá lá homens, podem parar de revirar os olhos porque já aqui falei da eleita mulher mais sexy do Mundo.  É preciso (tentar) agradar a todos. Igualdade de direitos.
Pronto, agora que a maioria dos homens deve ter saído do blog (ou não, que estão mortinhos por ver quem e se têm parecenças....), nós mulheres já podemos conversar.
Já no ano passado a revista People tinha, para mim, acertado em cheio com o Bradley Cooper. Este ano o escolhido foi o Channing Tatum. E eu aplaudo de pé e assino por baixo!
O rapaz é lindo, é charmoso, tem uma presença enorme e um sorriso de cair para o lado. E tem ainda mais uma coisa maravilhosa, digo eu. Aquela voz. Que voz é aquela?

Muito bem escolhido. Dúvidas?












14 de novembro de 2012

Já o Povo dizia...

Quanto à violência vivida ao final do dia junto da Assembleia da República, e porque todos sabiamos que um dia "a casa vinha abaixo", ocorrem-me alguns dos mais famosos provérbios Portugueses:


Bolsa despejada, casa amargurada.


Em casa em que não há pão, todos ralham e ninguém tem razão.


Em tempo de guerra, qualquer buraco é trincheira.

Quando mija um Português, mijam dois ou três.


Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.


E este senhor disse tudo :


"Os povos desencantados tornam-se insubordinados."

 

O Direito à greve.

Acho muito bem que exista o Direito à greve, e, até, que esteja consagrado na Constituição da República Portuguesa. Acho lindamente que quem em consciência ache que tem motivos e que trará mais benefícios do que malefícios a si mesmo e à realidade em que se move, exerça este Direito em pleno. Até aqui, tudo muito certo. Não me parece correcto que se critique aqueles que aderem à greve, que se diga que querem é desculpas para não trabalhar, que o País está a precisar é de produtividade, sem se conhecer as verdadeiras motivações de cada um. Não podemos generalizar. Como em todos os campos e matérias, há que imperar o bom senso. Haverá quem tenha razão e quem não a tenha e será sempre, mas sempre assim, até ao fim dos nossos dias.
Dito isto, o que também não é certamente aceitável, é este clima hostil gerado à volta de quem decide trabalhar em dia de Greve Geral. Isso é que não. Quem decide NÃO EXERCER um Direito, está no seu direito. A escolha é de cada um. E quem decide trabalhar, terá as suas razões e merece respeito. Agressões? Vandalismo em estações de comboio e metro? Só a expressão "fura-greves" já me incomoda um bocadinho mais do que gostava que incomodasse, mas as pessoas terem receio de utilizar os escassos transportes que existem nestes dias, terem receio de verem os carros ser aprejados, é coisa que não se pode aceitar. A cada um caberá analisar se a adesão à greve prejudicará de forma grave o seu posto de trabalho, quer através de perdas de lucro "perigosas", quer através das indesejadas represálias, que em tantas situações são bem reais. Ninguém está em posição de brincar com o emprego que ainda tem. Cada um decide em consciência exercer este Direito ou não. Não podemos é andar por aí à pedrada uns aos outros, ok?

13 de novembro de 2012

Ainda o Banco Alimentar.

O que vou escrever perturba-me o sistema nervoso. E gostava tanto de dizer que estou estupefacta, boquiaberta com isto, mas, infelizmente, não estou. Já se esperava, não é? Não vou voltar a comentar a petição para despedir a Presidente, já aqui deixei a minha opinião bem expressa. O que é muito mais triste do que onda que se gerou contra 20 anos de trabalho de uma pessoa, é o que oiço agora muitas dizer. Com que então, nem mais 1 kg de arroz ou massa, ou o catano para o banco Alimentar, não é? Tomem lá, pessoas necessitadas! Por esta é que não esperavam, aposto. Não contavam com a mesquinhice e a maldade dos Portugueses que, ao jeito de virgens ofendidas, não gostaram das declarações e decidiram não mais contribuir para esta causa? Pois. Mas deviam contar. Porque há realmente gente para tudo. Há maldade que chegue para todos. Já nem quero chegar ao ponto de dizer o que penso sobre aqueles que podem, mas que nunca contribuiram com o que quer que seja para o Banco Alimentar. Mas deixar de contribuir como uma espécie de vingança pessoal contra a Presidente? Pensei que nem neste País fosse possível. Aliás, minto. Já contava com reacções destas. A estupidez nunca teve limites, porque é que teria agora?
Não gosto do que vou escrever agora, não me orgulho disto, mas a fúria que me dá esta gente, só me permite dizer o seguinte : oxalá nunca na vida vos faça falta um pacote de esparguete.

Vale e Azevedo, O Grande.

Se há título que já ninguém tira aos Benfiquistas, é o de terem na história do clube o Presidente mais vigarista de todos os tempos. O que foi condenado, não estou falar dos outros (ainda). E isto não é um acto difamatório, não é perseguição da minha parte, é mesmo assim. O homem foi condenado por diversos crimes, não matem a mensageira.
Mas passo a explicar o título do post : o homem até pode ter sido apanhado (e agora podem aparecer as más linguas a dizer que, só por aí, não é muito esperto), mas eu acho que o homem é espertíssimo. Inteligente, mesmo. O que ele faz está ao nível do malabarismo e do ilusionismo. A forma como usou a(s) Lei(s) a seu favor nos últimos anos, é de se lhe tirar o chapéu. E ainda conseguiu acomodar-se numa das mais belas Cidades Europeias. Em bom, tudo em bom.
Recursos esgotados em Londres, está de volta a Portugal e à prisão. Mas, depois de ler a estratégia da defesa quanto à pretensão de ser considerado tempo de prisão efectiva aquele que passou numa espécie de prisão domicliária em Londres, acredito que não se mantenha preso muito mais tempo. Isto das Leis tem muito que se lhe diga. E tem mais ainda quando se trata de pessoas com recursos suficientes para usar todos os "expedientes" (e isto até podia estar sem aspas) ao dispôr. O Sr. António da mercearia, já estaria preso desde o final do Julgamento. O Dr. Vale e Azevedo foi agora lá passar mais umas noites, só para despistar.

PS- ainda vou ver o Isaltino e o Vale a beber um chá numa esplanada ali para os lados de Oeiras.


12 de novembro de 2012

Ai, ai os homens #2

E o dia de hoje é um crescendo de dúvidas. Andava eu "por aí" e tropeço numa notícia que identifica os 10 piores presentes a oferecer a um homem. Isto segundo um inquérito qualquer realizado aos ditos.

Diz a notícia :

"Se não quer correr o risco de encontrar o presente que lhe ofereceu a decorar o fundo do caixote do lixo lá de casa, conheça o Top 10 dos presentes mencionados pelos homens como sendo os mais inúteis:

1 - peças de roupa inadequadas - com estampados alusivos ao Natal, por exemplo;

2 - acessórios de vestuário, como gravatas ou chapéus;

3 - relógios e pulseiras;

4 - objectos como rádios digitais, pen USB e isqueiros;

5 - roupa interior, nomeadamente com motivos natalícios;

6 - perfumes que não aprecia;

7 - material de escritório;

8 - objectos de decoração;

9 - chocolates e outros doces;

10 - DVD e CD."

Como é que é? Se já não era simples escolher um presente para um homem, agora é que está tudo tramado. Percebo que as roupas com as renas não agradem, que os objectos de decoração não sejam do vosso apreço, e até entendo (mais ou menos...) a dos chocolates e outros doces. Mas ficamos por aqui. Desde quando um homem não gosta de receber um relógio? Ou traquitanas do género de rádios digitais e afins? E DVD(s) e CD(s) também não?

Homens, por favor, venham cá dizer que isto não é verdade. É que, a ser verdade, o meu Natal vai ser complicado. Vai, vai...

Dúvidas existenciais pertinentes.

Ainda não percebi se este é um bom dia.

Se por um lado é segunda feira ( e eu juro que quando o despertador tocou , eu pensei que, loira, me tivesse enganado e o tivesse colocado para despertar meia hora depois de me deitar), por outro lado está um dia de Sol lindo. Daqueles que nos ajudam a sair de casa para o início de mais uma semana.

Se por um lado, o meu SCP ontem ganhou, e ganhou (milagre de S. Martinho ou o renascer do Leão?) ao Braga, não ganhou a uma qualquer equipa ( Quando acabei de festejar o golo, apercebi-me que não festejava tanto um golo há muito tempo. E festejei de mãos abertas, e não como o pobre Ricky que festejou com a mão cerrada, não fosse alguém julgar que o moço é um mal educado),  por outro lado, quando acordei percebi que no ar andava qualquer coisa estranha. Assim uma espécie de dia de conto de fadas, estragado pelas forças do mal.

O Sol está cá, a boa disposição também, a Leoa não tem o orgulho ferido, mas...vem aí a Merkel. É isso. O gelo que faz na rua não engana. Pena tenho eu que o S. Pedro tenha decidido oferecer este sol logo hoje. O que merecia era uma valente carga de água, ou um nevoeiro cerrado. Não me parece que esta mulher mereça as coisas boas que este País tem para oferecer.

Ela que venha e vá depressa, depressinha. A andar, que aqui não há nada para ver. Não sei porquê, mas assusta-me saber que está perto. Tenho medo da mulher, confesso. A mulher não ri e eu desconfio muito de gente que não ri. Aquilo é distúrbio grave.

PS- giro, mas giro, era a moça abeirar-se para ver o Rio ali na zona de Oeiras e ir parar lá dentro. Antes que pensem que quero que a mulher se afogue, só quero dar uma valentes gargalhadas. Ensopada até aos ossos, e com aquele cabelo que não mexe todo virado do avesso? Impagável. Era ver toda uma Nação de sorriso nos lábios.

Digam-me que não têm medo...disto :






11 de novembro de 2012

Agradecimentos que se impõem.

Quando iníciei este blog em Julho, o objectivo era apenas escrever sempre que me apetecesse, sobre o que me inspirasse. O ano de 2012 não estava (nem está) a ser fácil para mim, e o Na Ponta da Madeixa tornou-se um fiel amigo. Um bom ouvinte. Não pensava nas visitas nem nos seguidores. Hoje sei que a minha inspiração também passa por vocês e só isso já impõe que vos deixe um enorme OBRIGADA. Obrigada a todos os que passam por cá, aos que deixam as opiniões, aos que com paciência me vão lendo.
Sei que nem todas as minhas opiniões merecem a aceitação de todos (seria estranho se merecessem) e que posso dizer muitos disparates (tantos quantos qualquer pessoa, quero crer) ou mesmo ser bruta que nem uma porta às vezes. Mas as opiniões são como os chapéus : há muitas. Obrigada por lerem as minhas. São grandes, vocês.

"The Words- There is more than one way to take a life"

Tinha visto o trailer deste filme e achado o argumento interessante. Nem me tinha apercebido que o Bradley Cooper era o protagonista. Eu? Nada. Nem o vi no trailer. Um escritor frustado, sem um único livro publicado e a quem todas as editoras fecham as portas, encontra um dia um manuscrito que daria um livro brilhante. Acaba por por publicá-lo como se ele próprio o tivesse escrito e o sucesso é estrondoso. O sonho é interrompido pela aparição do verdadeiro autor do Livro, ainda vivo.
Não vou entrar em pormenores, porque se há coisa que me tira do sério, é ler sobre o final de qualquer filme. Ou livro (nunca me façam isso , por favor).
Verdade seja dita, eu iria ver este filme de qualquer forma e ainda que o argumento fosse uma verdadeira trampa. O Cooper é só o homem mais sexy do Mundo, desculpem lá os outros qualquer coisinha. Mas, e esta é mesmo a minha opinião sincera, cada vez mais mostra que não é só isso. O homem tem talento e tem conseguido demarcar-se do género de filme "Ressaca", de forma bastante aprazível. Já tinha tido esta sensação no "Limitless" e com este "The words", confirma-se.
Destaque para a interpretação do Jeremy Irons, que está perfeito. Ao estilo que já nos habituou.
É a velha história de "o crime compensa" (?). E mesmo quando compensa, o preço a pagar não será demasiado alto?
Um nota especial para um detalhe que adoro e que, por mim, podia fazer parte da maioria dos filmes : o narrador. Existe lá coisa melhor do que um filme com narrador...




9 de novembro de 2012

Porquê eu??

A sério, quando uma pessoa tem pouca sorte, uma pessoa tem pouca sorte e ponto final.

O último desaire do meu Sporting, como sabem os Sportinguistas mas também todos os outros que já sonham com as piadas novas que podem fazer no dia seguinte ao jogo, aconteceu ontem. E ontem, por circunstãncias da vida, o jogo foi visto em família : Mãe, Pai, Irmão e euzinha.
Neste momento, volto um pouco atrás para explicar que o meu querido Irmão, é ( o que lhe vai valendo o estatuto de ovelha negra da família, pois está claro) o membro Benfiquista da família. Mais do que isso, há que explicar que toda a família, à excepção do querido Irmão, é Sportinguista. Tudo gente de coração forte e muito sentido de sofrimento, portanto. A minhã Mãe é uma das Sportinguistas mais fervorosas (doente, vá...) que conheço. O meu Pai, por sua vez, é um Sportinguista de coração, sofredor, mas muito realista, de pés bem assentes na Terra. E eu...bem, eu vocês sabem. Vamos avançar.
Isto para explicar, que ontem cheguei à conclusão que morro de inveja do meu Irmão. E não, não é pelo facto de ser Benfiquista, que isso cruzes -credo nunca na vida, nem que não existissem mais clubes de Futebol e a alternativa fosse tornar-me adepta da Pesca, por ex, que é a actividade que considero mais aborrecida à face da Terra. Não, a inveja é outra. Ontem, enquanto euzinha, Mãe e Pai sofriamos a bom sofrer com mais um jogo, com mais bolas perdidas, com mais uma expulsão que não vejo em lado algum, com mais um empate conseguido pelo adversário em período de descontos, o meu Irmão comia a sobremesa com a maior tranquilidade do mundo, não batia o pé, não parecia tentado a roer todas as unhas, não se despenteou vezes sem conta, nada. Impávido e sereno. E desenganem-se se pensam que, caso estivesse a jogar o Benfica, a história seria outra. Nada disso. Não liga patavina ao Futebol , não sabe quando joga o clube, se ganhou ou não, quem são os jogadores, que disparate disse o JJ no final de mais um jogo, quantos minutos de posse de bola tiveram frente ao Barcelona. Não perde anos de vida com isto, não ganha cabelos brancos, ( os que tem - e são muitos - segundo ele são por minha culpa,  vá lá perceber-se), nada. E ainda se ri de nós, sofredores. Na nossa cara, ri a bom rir.

Porquê eu, pergunto? Porque não manter a tradição? Porque não ser o Irmão a gostar de futebol? E a sofrer com ele? Eu precisava de mais isto? Já não custa o suficiente ser mulher?

As declarações de Isabel Jonet.

Já todos devem ter ouvido, pelo menos uma vez, as declarações da Presidente do Banco Alimentar. Não se fala de outra coisa.
Eu concordo que a senhora esteve mal. Esteve, esteve. E porquê? Porque se esqueceu que estava a falar para um povo sedento de "sangue". Para um povo que vive ansioso por encontrar a próxima vitima. Alguém que se meta a jeito para receber toda a fúria acumulada do povo que vive neste clima de crise. Esteve mal. Esqueceu-se que os portugueses ouvem qualquer notícia como lhes dá jeito. Dá jeito dizer mal e descarregar mais um bocadinho de raiva? Então interpretam como querem. Isso de ouvir as coisas que as pessoas dizem e entendê-las é coisa que dá muito trabalho e puxa muito pela cabeça!
Que me desculpem os portugueses , mas aquilo que está a acontecer é uma verdadeira vergonha. Pedir a demissão desta mulher que tanto fez durante o tempo que esteve à frente do Banco Alimentar? Porquê? Porque os portugueses não sabem o que são metáforas?? Agora, só para complicar mais um bocadinho, digo-vos eu, que "um bife", nem sempre é "um bife". E esta, hein?
E depois, claro, vem o argumento do costume. A Isabel Jonet é capaz de ter um ordenado superior ao da maioria. E deus nos livre de ter pessoas a ganhar bem neste País, não é? Não, isso é que não pode ser! Era o que mais faltava.
Talvez isto explique muita coisa sobre o nosso País. Quando a maioria dos portugueses não entende que esta mulher disse apenas que vivemos muito tempo acima das reais possibilidades, e agora é preciso perceber que há ajustes a ser feitos, e há que abdicar de muita coisa (mais uma vez, as metáforas existem, não foi a senhora que as inventou neste discurso, ok?), então o problema é ainda maior do que eu imaginava.
Isabel, se um dia ler este post, não se esqueça daquilo que lhe ligo : o melhor, para a próxima, é levar uma cartolina e uns lápis. Faça um desenho. Pode ser que todos a entendam. Tenho dúvidas, mas é uma idéia.


8 de novembro de 2012

Querida (not!) TMN...

(Eu andava a evitar escrever aqui o que acho sobre esta operadora. Que é a minha e já vos explico porquê).

Não gosto nadinha de vocês. Mas mesmo nada. E isto é uma relação que já morreu, já não vai lá. Morreu a partir do momento em que tenho 2 reclamações em curso nesta querida operadora, há mais de 3 anos, e nem à real merda trampa foram capazes de me mandar. Nada. Nem um telefonema sobre este assunto. Mas seria de pensar que se não respondem a duas reclamações de uma cliente com mais de 15 anos de fidelidade, também não me telefonariam para falar de merdas coisas que não interessam à mais desocupada das pessoas. Mas não. Para isso vocês telefonam. Querem saber, ironia das ironias, qual é o meu grau de satisfação com a querida operadora. Várias vezes por ano, não vá não terem percebido que a minha resposta é a mesma há anos : "Bom, agora que pergunta, e uma vez que nunca responderam às minhas reclamações, o meu grau de satisfação é zero". Silêncio do lado de lá. Ou um gaguejar. Esta conversa acaba sempre comigo a pedir, da forma mais educada que ainda consigo, que não me voltem a contactar a não ser que seja para me responder às questões que temos pendentes há mais de três anos. Talvez devido a estes pedidos constantes, decidiram inovar. Agora, de cada vez que se contacta convosco, somos presenteados com um telefonema, umas horas depois, que consiste numa gravação que pretende saber qual o grau de satisfação com o último contacto realizado com a vossa linha de apoio. A sério, pessoas? A sério??

Perante os nervos que esta gente me tem causado, explico que só não mudei ainda de operadora, porque os familiares e amigos mais chegados também cairam nos mãos do diabo. E isto é uma espinha entalada na minha garganta de cada vez que no final dos contactos solto um invariável "talvez um dia possa mudar de rede e nunca mais ter que atender um telefonema vosso".

Peço desculpa pelo desabafo, mas depois de receber chamadas anónimas (eu sei que eram vocês, sacaninhas) durante quase 48h, e ter cedido à tentação de atender uma hoje e confirmar que eram mesmo vocês, sacaninhas, tinha que ser.

"Love never dies"

O autor Irlandês Bram Stoker, faria hoje 165 anos. O responsável por algumas das mais belas frases de Amor que conheço.

Deixo-vos algumas.

(Sim, tenho dias em que toda eu grito romantismo, e outros em que acho que nem um camião de rosas me impressionaria).

Inspirem-se :

"Viajei Oceanos de tempo para encontrá-la".

"O homem mais feliz na Terra é aquele que encontra o amor verdadeiro".

"O amor é mais forte que a morte".

PS- para encontrar um Amor destes será preciso encontrar um homem...morto? Fica a questão.



7 de novembro de 2012

Mito urbano ou realidade?

O último episódio da minha adorava HIMYM (já aqui disse, mas reforço que vou cair em depressão profunda quando esta malta nos abandonar), abordou ( como sempre, de forma inteligente e com um humor irresistível) uma questão interessante : As mulheres, depois dos 30 anos, vivem em busca do compromisso? Daquele que envolve um altar e uma aliança no dedo?
Bem, esta é a idéia generalizada. Parece-me realmente que é isto que a maioria dos homens pensam que se passa na cabeça de uma mulher com mais de 30 anos. E mesmo algumas mulheres, mazinhas, que acham que as outras, coitadinhas, devem estar desesperadas. Parece-me também que, em muitos casos (tenho receio de arriscar que seja a maioria deles) é mesmo assim. Mas vamos por partes. Nem todas as mulheres andam desesperadas em colocar uma aliança no dedo e ser a Sra. qualquer coisa. Muitas têm até receio de se ver num casamento com a pessoa que, afinal, pode ser errada, e têm quase tanto medo de ser ver num altar, como aquele clássico homem que tem pavor ao compromisso. Há mulheres que desesperam por este dia,sem dúvida que há. O que é um perigo. Isto deve toldar o racíocinio e fazer ver princípes onde, no fundo, só existem sapos. Isto pode ser o suficiente para acordar um dia e não saber onde raio tinham a cabeça quando meteram o raio do véu na dita.
Mas não confundamos o "desespero" (real, nalguns casos), com o "sonho". A verdade é que todas as mulheres (vá, não vale a pena negarmos isto porque no fundo,lá mesmo no fundo, sabemos que é assim), sonham encontrar o tal. E sonham que o tal vai fazer um pedido de casamento digno de filme. E sonham que o tal as fará felizes para sempre. Até acredito que a maioria de nós "sonhe" com este dia. Já tenha imaginado, de alguma forma, este cenário. Mas acreditem : as mulheres saudáveis e com as idéias no sítio, não vivem desesperadas a olhar para o calendário e a contar os anos que passam. As relações devem ser vividas com calma e, sobretudo, não ser vividas em função da idade ou da pressão da sociedade que nos rodeia. Isto é a receita mais rápida para o desastre, a não ser que, por pura sorte, no meio do desespero,se tenha conseguido acertar.
Homens, digo-vos eu : desconfiem de um mulher com quem têm uma relação recente, e que se mostra desesperada por ter o anel no dedo. Peço desculpa por me passar assim um pouco para o lado do "inimigo", mas isto não está certo. E muito menos está certo "forçar" alguém a casar. Nada de bom vai sair daí.

PS -é perfeitamente deliciosa, a forma como este episódio mostra como os homens podem ser distraídos ao ponto de conseguir ignorar todos os sinais que gritam "pede-me em casamento", dados pela companheira. É tão fácil detectá-los...


6 de novembro de 2012

Tu não aprendes, CM




Isto de jantar e ver notícias ao mesmo tempo, vai ter que acabar. Porque ou eu acabo com este hábito, ou acabo engasgada, sem respiração, e a ser encontrada daqui a dias, semanas, com a cabeça caída no prato. Isto só para aligeirar o que vou escrever a seguir, e juntar-lhe um bocadinho de humor negro. Parece-me que notícias negras merecem, não é?

Então o que acabei de ouvir (eu e milhões de portugueses), foi isto que entretanto também li :

"...o governo prevê que o saldo da Segurança Social atinja um nível de ruptura em 2020 e que a partir dessa data todas as prestações actualmente pagas passem a ser suportadas pelo Fundo de Estabilização Financeira, que sem medidas adicionais, só terá dinheiro até 2024, tendo por base uma rendibilidade de 2% a longo prazo. As projecções económicas para 2013 não deverão fazer recuar este cenário."

Peço desculpa pela minha pergunta, mas, assim sendo, dá para eu guardar (nem que seja debaixo do colchão) o dinheiro que desconto todos os meses para a SS? É que vou precisar dele, como está "bom" de ver.