É basicamente isto.

É basicamente isto.

14 de novembro de 2013

As desvantagens de viver sozinha.

As pessoas nunca estão contentes com o que têm. É mais forte do que nós. A realidade é esta. Se vivemos sozinhos, achamos que deve ser bom mesmo é chegar a casa e ter companhia. Se vivemos acompanhados, queríamos era poder chegar a casa e estar sozinhos, relaxar, ter a televisão só para nós, fazer as refeições à hora que nos der na real gana. Há grandes vantagens e desvantagens nas duas situações. Mas hoje, e à conta de um episódio acontecido esta manhã, vamos falar apenas das desvantagens desta vida independente que levo naquelas quatro paredes. Já precisei de ajuda masculina (calma, suas mentes...calma) para diversas tarefas : trocar lâmpadas, furar paredes, pendurar móveis, ligar todos os aparelhos relacionados com a TV de forma a funcionarem em conjunto, pendurar quadros, arranjar torneiras, etc. Em todos estes momentos, pensei que gostava muito de não precisar de ajuda, mas a verdade é que preciso. Precisei e vou continuar a precisar. Quando achava eu que estavam esgotadas as situações em que teria de dar o braço a torcer à velha máxima "um homem faz muita falta em qualquer casa", eis que hoje a vida decide mostrar-me mais uma.
O cenário: 8 da manhã. Arrasto-me para fora de casa, a muito custo, ainda melindrada com a gripe que não me larga. Decido levar o carro para o trabalho. Está demasiado frio para andar de transportes neste estado. Desço à garagem, entro no carro e aponto o comando ao portão. Ainda demorei uns segundos a perceber que nada aconteceu. Carrego outra vez no botão. Nada. Calma. Saio do carro, e decido encostar praticamente o comando ao portão enquanto carrego furiosamente no botão. Nada. Faço aquela parvoíce que também faço quando o comando da TV não funciona : dou-lhe umas cacetadas. Tento de novo. Nada. Decido que deve ser mau contacto, e vou pelo lado de fora d prédio, toda convencida que isso vai resultar. Nada. Imóvel. Volto para dentro da garagem, e percebo que para abrir manualmente o portão, preciso de mais meio metro de altura. Sim, está lá uma corda que devemos puxar quando isto acontece, mas, pasmem-se, pensando agora nas pessoas que vivem naquele prédio, quer parecer-me que só duas têm estatura suficiente para abrir manualmente o portão. Com isto são umas 8:10 da manhã, e não consigo sair de casa. Depois de perceber que esperar por um vizinho, podia deixar-me ali uma boa parte da manhã, decido que só me resta escolher um felizardo para tocar à campainha e pedir, encarecidamente, que me abra o portão. Assim foi, morta de vergonha.

Às vezes, mas só às vezes, uma mulher não é auto-suficiente.

25 comentários:

  1. Respostas
    1. Gostava de conseguir dizer o mesmo assim, assertivamente, mas tenho dias...

      Eliminar
  2. Eu li bem? trocar lampadas?!?!?! ohh miga o teu caso é mais grave do que parece :P
    E que tal subir a um escadote.. atar outra corda a essa e puxar no chão? proxima compras... escadote e corda! sabes dar nós? :P
    É mesmo assim.. precisamos de uns e dos outros! eu lá em casa preciso que tratem da roupa da casa e de escolher a roupa das crianças.. o resto desenrasco-me bem :)
    O contrário... xiiii ficava aqui o dia todo a escrever :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calma!! Não estou a falar daquelas lâmpadas ao nosso alcance nos candeeiros...! Atar uma corda a essa sem lá chegar sequer? Parece -me difícil. E em relação ao escadote ou banco, como diz ali o Mustache que também já vai levar a resposta, era tudo muito bonito, se não estivessemos a falar de uma rampa sem apoio possível para isso...

      Eliminar
    2. mas é assim tão inclinada a tua rampa? A minha é um pouco mas por acaso nunca tentei meter lá o escadote. mas iria sempre arranjar uma maneira.
      Tenta usar um travão que não escorregue e coloca lá uma base para o escadote ficar mais direito!
      A segurança está em 1º lugar!

      Eliminar
  3. Acontece...mesmos à melhores...e também a quem não vive sozinho...!
    Bjs
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela solidariedade, Maria :)

      bjs

      Eliminar
  4. Se precisas de ajuda de um homem para trocares uma lâmpada (!!!!) e pendurar um quadro (!!!), então muita coisa se explica...
    Quanto à situação do portão, vou acreditar que a gripe não te deixou pensar que podias perfeitamente ir buscar um banquinho a casa....

    Essa tua ultima frase "Às vezes, mas só às vezes, uma mulher não é auto-suficiente.", é uma afronta a todas as mulheres.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depende da lâmpada e no caso do quadro, sim, se quiser que fique direito. Há que assumir as nossas falhas.
      Quanto ao portão, zé sabichão, isso seria tudo muito bonito se o portão não estivesse imediatamente a seguir a uma rampa...a esta hora, estava numa cama de hospital com uma perna às costas e a abeça ligada. Mas obrigadinha, pá!

      E essa última frase é uma verdade absoluta. Da mesma forma que um homem não o é.

      Eliminar
  5. Hum... Afinal o teu problema é viver sozinha ou ser pequenina? Ser pequenina não tem mal nenhum, até pode ser considerado sexy :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É ser pequenina, decididamente. E ter pouco jeito para bricolage! ;)

      Eliminar
  6. Isso acontece a qualquer um, :)
    Desejo-te as rápidas melhoras.

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Sérgio! Um beijinho grande e sê bem aparecido :)

      Eliminar
  7. Por enquanto, nesta curta aventura de 7 meses e meio, só tive de pedir ajuda uma vez, para coisas aqui dentro de casa. Mas há umas semanas, o portão da garagem avariou depois de quem ter saído de lá? Eu... E sim, tive de tocar na campainha do vizinho de cima... Que também não resolveu o problema!
    Também acho que um dia destes, nuns certos candeeiros, me vou ver à rasca para mudar as lâmpadas... Estou solidária contigo!

    ResponderEliminar
  8. Bah, mulheres, digam mal dos homens, digam...mas comparo essas lides que referiste como sendo difíceis para as mulheres ao cozinhar para um homem actual.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ND, diz-me que estou a ler mal e que sabes cozinhar! Se não sabes, mente-me!

      Eliminar
    2. Há locais com os quais não fui educado a identificar-me. Um deles é a cozinha! :P

      Eliminar
  9. Desculpa lá, mas eu acho que consegui perceber o teu verdadeiro problema: tu penduras os móveis? É que isso é capaz de não dar lá muito jeito... Tu vê lá...

    (opá, não resisti. desculpa...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lol! Sim, Smelly! Tenho um móvel (pode ser um armário, vá), daquela loja muito gira que nos faz ter todos as casas iguais, pendurado na parede porque achei que dava um ar diferente à coisa.

      Eliminar
  10. Isso foi a constipação que te fez mal aos neurónios.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai minha loira, onde é que esses já iam mesmo antes da constipação.

      Eliminar
  11. Olha, eu adorava ter a experiência de viver sozinha... Já sei é que não posso ter casa com garagem =P

    Beijocas

    ResponderEliminar
  12. Ahhhh e esta situação fez-me lembrar a minha pessoa, claro.
    Eu sempre a dizer que não preciso de homens para nada, e digo isto à frente do namorado...Eis que me aparece um bicho! Oh, lá teve o homem que me ir salvar =P

    ResponderEliminar
  13. LOL confesso que me ri com o post xD
    Mas vê o lado positivo de viveres sozinha: tens a tua privacidade, fazes o que queres e quando queres... Eu vivo com 4 colegas e o que mais me custa é mesmo a falta de privacidade :/

    ResponderEliminar
  14. Basta não o ser às vezes, para não o ser :P

    ResponderEliminar

Elaborai à vontade a tua teoria.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.