É basicamente isto.

É basicamente isto.

4 de junho de 2013

Assim vão as coisas na Ordem dos Advogados.

Um grupo de advogados estagiários terá interposto uma Providência Cautelar com vista a acabar com a exigência da realização de provas no âmbito do estágio, e com o seu necessário resultado positivo, para poder ver o seu nome inscrito na Ordem dos Advogados (fora o exame final de admissão).

Foi dado deferimento à Providência Cautelar, e, consequentemente, ordenada a suspensão da realização das provas. Aparentemente, uma "nova" Lei admite, no máximo, um exame de agregação no final do estágio.


Agora aparece Marinho Pinto, que uma vezes defendo, outras acho que viola tudo o que é princípio Deontológico, a dizer que as provas são para realizar porque a decisão só se aplica aos autores da providência cautelar? É assim que vai a Ordem dos Advogados, actualmente.

Honestamente, não recordo os tempos de estágio com qualquer tipo de saudade. A morosidade, a complexidade, a falta de condições práticas para cumprir todos os requisitos sem os quais nem nos poderíamos submeter a exame, o carácter gratuito do estágio. E recordo-me bem da sensação de "tudo por tudo" que se sentia no momento de realização destes exames. Imagino o que seja estar no meio desta confusão, com toda esta incerteza, e com a noção que estão em causa anos de trabalho, trabalho que é árduo. A minha solidariedade para todos os estagiários envolvidos neste processo infeliz.

13 comentários:

  1. Ahhhh agora tive a confirmação ;)
    Pois, eu tinha tanto, mas tanto, para dizer sobre este assunto. Para não me irritar, acho que vou ficar caladinha.
    Nem me quero lembrar do estágio... Faz este mês um ano e meio que deixei esse belo título de estagiária e olha que ainda tenho pesadelos ;)
    Fica também a minha solidariedade para todos os estagiários :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ;)

      Eu deixei essa vida há 8 anos, já...foi uma desilusão do tamanho do Mundo.

      Beijinhos

      Eliminar
  2. O estagio é um atentado a tudo o que é humanamente aceitável a nível profissional. Brincam com as pessoas de uma forma ultrajante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um atentado na forma como está organizado, na falta de remuneração obrigatória, em tudo. Há muito mais abuso e exploração do que as pessoas possam julgar...mas quando o próprio Estado não paga em tempo útil o trabalho das oficiosas, o que dizer?

      Eliminar
  3. Só de pensar naquilo que ainda tive que passar para concluir o estágio, depois de penar 5 longos anos até me dá tonturas...Não sei como é que as coisas estão actualmente, mas no meu tempo (que deve ser o teu também), era uma longa travessia no deserto...

    É verdade que o mercado está a rebentar pelas costuras, mas, em vez de dificultarem o acesso à profissão, deviam era fechar os mil cursos de direito espalhados pelo país...

    Quanto ao Sr. Bastonário, recuso-me a comentar o que quer que seja dessa personagem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Actualmente tambés estou mais por fora do assunto estágio, mas o nosso tempo foi terrível...se um dia contasse alguns episódios do meu estágio, devia acabar presa numa qualquer cave escura sem contacto com o exterior.

      É um disparate a quantidade de gente que todos os anos entra pelas portas das Universidades para os cursos de Direito...e espanta-me como as próprias pessoas anda continuam a apostar nele.

      Eliminar
  4. Isto é tão doloroso e ridiculo. Que parece que é o resultado do estado deste país!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um dos reflexos, sem dúvida. Lamentável.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Euzinha, minha Carolina. Mas já me afastei dessa vida. Gostas de mim na mesma?

      Eliminar
    2. Se te afastaste...quando formos beber O café explico-me!

      Oh se gosto :)

      Eliminar

Elaborai à vontade a tua teoria.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.