É basicamente isto.

É basicamente isto.

26 de dezembro de 2012

Enough Now.

Se algum dia me esquecer, lembrem-me que aquilo que quero noutra vida (já agora, dava um jeitaço acreditar na reencarnação) é não ser saudosista. A sério. Não quero cá disso. Tenho uma mania imensa de ter saudades de sítios, de coisas, de datas, e, para mal dos meus pecados, de pessoas. E se já todas as outras são difíceis, ter saudades de pessoas que fizeram parte da nossa vida, pode mesmo ser uma valente trampa. E sim, eu não tenho problemas alguns em admitir as saudades, ou em expressar sentimentos. Tenho mesmo problemas grandes, é em lidar depois com as dores em todos os ossinhos do corpo quando me estampo à grande. Isso sim, é um problema. Faço parte do grupo de pessoas que prefere não deixar coisas importantes por dizer, e começo a desejar, verdadeiramente, passar-me para o outro lado. Guardar para mim alguns sentimentos, começar a fazer cada vez mais sentido. Mais um campo a rever e a treinar em 2013 (com toda coisa que preciso que mude, o ano não vai chegar).

Não me interpretem mal. O Natal foi bastante feliz e tive ao meu lado a larga maioria de pessoas que me fazem falta. O problema são os sentimentos que palpitam dentro de nós nestas datas importantes. Para dentro, sentimentos! Para dentro.


8 comentários:

  1. Lá está, partilho desse problema e necessidade de manter mais para dentro os sentimentos...mas o receio de alguém desaparecer antes do tempo, como já me aconteceu, "obriga-me" a dizer tudo enquanto posso... Boa sorte, se descobrires como, informa aí o pessoal :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não só vou descobrir, como vou partilhar o segredo. Chega de ossos partidos, certo?

      Eliminar
  2. Desculpa ser cruel, especialmente nesta quadra, mas não vais conseguir mudar isso...Esse tipo de característica faz parte daquele lote que é intrínseco a cada um nós e imutável. E, diga-se, ainda bem que assim é...Apesar das respectivas consequências...;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nix, Nix...mutáveis, somos mutáveis em tudo. Dá é um bocadinho de trabalho.

      Eliminar
    2. Em muita coisa somos, mas não em tudo...

      Eliminar
  3. Digo antes: Sentimentos para fora, sentimentos para fora!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora só quando já não me doerem os ossos ;)

      Eliminar
  4. Nunca percas as saudades. Por maior que seja a dor. Não percas esse bem precioso.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Elaborai à vontade a tua teoria.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.