É basicamente isto.

É basicamente isto.

17 de setembro de 2013

CM e os seus problemas de proximidade.

Isto de fazer terapia através do blog, sempre me pareceu uma grande ideia. É mais barato, está à distância de um monitor com teclado, e tenho mais do que uma pessoa desse lado (nos meus sonhos vocês realmente andam aqui a ler o que escrevo e saem todos satisfeitos, como se tivessem acabado de sair de uma padaria que vos vendeu pãezinhos quentes. Com manteiga ou geleia de morango).
Tenho, portanto, aquilo a que podemos chamar problemas de proximidade. Não gosto cá nada que pessoas que não conheço de parte alguma, estejam tão próximas de mim, que consiga tocar-lhes se esticar um bracinho. Nos transportes causa-me um desconforto enorme ter alguém quase de braço dado comigo. Ali, mesmo ao meu lado, a invadir o meu espaço. Nas superfícies comerciais, nunca subo uma escada rolante sem deixar vários degraus de intervalo entre mim e as outras pessoas. Na praia, prefiro tolerar o calor mais uns minutos, ou fazer um desvio de vários metros, a entrar num mar repleto de gente. Não entro num elevador que já só tem espaço para mais 2/3 pessoas. Falar com alguém, praticamente desconhecido, que passe toda a conversa a tocar-me (há pessoas que comunicam desta forma , o que também deverá ter a sua explicação), então, é deixar-me carregada de nervos. Acredito que esta "fobia" tenha algum nome mais técnico e/ou específico, mas desconheço. Posso estar num sítio cheio de gente, apinhado mesmo, desde que eu tenha o meu espaço. Poderá bem ser uma espéce de claustrofobia, que se manifesta só nestas situações. Podia tentar culpar a minha infância difícil, a Sociedade e a própria da humanidade, podia deitar-me num divã de um qualquer psicólogo para procurar as causas desta patologia, mas palpita-me que isto é mesmo é esquisitice. Da pura e dura.

37 comentários:

  1. Para que não te sintas sozinha, às vezes também me acontece, mas não em todas as situações ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou assim mais esquisitinha, é um facto.

      Eliminar
  2. Olha, eu cá sou IGUAL, sem tirar nem por, em todas as situações que descreves. Proximidade com estranhos não é mesmo para mim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A não ser que sejam uns estranhos bem giros! (já estou a dar a resposta ali ao POC)

      Eliminar
  3. Também sou assim, não gosto nada que invadam o meu espaço. Acho que muitas vezes o problema não está só em nós mas também naqueles que não nos respeitam. Há gente que só está bem se estiver, literalmente, em cima dos outros!

    E agora vou daqui com o estômago aconchegadinho com um pão quentinho barrado com manteiga. Doce não que estou de dieta (cof, cof).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E em cima de nós, só quem nós queremos, é ou não??

      Isso das dietas ainda te faz mal, deixa-te disso!

      Eliminar
  4. Também sofro do mesmo mal... E pode ser, sim, um caso de claustrofobia... O que te incomoda não são as pessoas, mas sim a falta do teu espaço!

    [ahah de fobias percebo eu xD]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E também não vou deitar-me no tal sofá e gastar os meus euros, para saber se é mais do que isso. Está bom, não mexe!

      (eu tenho outra que é bem pior : aves! Que pânico!)

      Eliminar
    2. Andou um rapaz na minha turma há uns 10 anos que não comia frango porque tinha pavor a aves... Conferes? Ou tens um pouco mais de juizo? xD

      Eliminar
  5. Dispenso o toque de estranos e mesmo de alguns conhecidos, maso que me faz confusão é respirar o mesmo ar das outras pessoas. Por exemplo, num elevador, se tenho de ir com mais pessoas, tento, sempre que possível, conter a respiração. Nunca mais andei de transportes públicos desde que acabei o curso, mas lembro-me perfeitamente de, mal entrava no metro, abrir as janelas, fizesse frio ou calor.sentir que o ar que entrava nos meus pulmões vinha dos pulmòes de um estranho era das piores coisas que me podia acontecer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem me fales disso, Mirone, que isso é caso para eu ter dos piores pesadelos. Não se respira para cima das outras pessoas, meu povo!

      Eliminar
  6. Acho que é geral. Eu nao gosto de estar num sitio onde esteja muita gente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode estar muita gente, mas eu tenho de ter espaço e não estar a tocar ou quase a tocar em estranhos.

      Eliminar
  7. A todos os que já comentaram: que ponham a CM num táxi de 5 lugares, com 10 daqueles lindinhos que ela mostrou serem os seus preferidos, e perguntem se ela fica desconfortável.

    Não sou o último, mas bato já com a porta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Má nada", o resto é conversa.

      Eliminar
    2. Mas esses senhores são decerto muitos fofinhos, agradáveis ao tacto e limpinhos e bem cheirosos! LOOL :) ...digo eu, se calhar estou enganada!

      Eliminar
    3. POC, deixando de lado esse teu ataque de ciúmes (descabido, porque tivesse uma foto tua, e estava ali no meio dos 10), esses meninos podiam tirar-me espaço sempre que quisessem. Só para início de conversa.

      Eliminar
    4. @Anónimo, venham de lá esses ossos.

      @chloe, eu também sou, e ninguém faz artigos a comigo incluído.

      @CM, estava ali no meio dos 10? Mas quê, a conduzir o táxi, não? Já deixei de cá vir há muito tempo.

      Eliminar
  8. Partilho desse sentimento no que aos transportes diz respeito, mas volta e meio lá tenho uma velha agarrada a mim para não cair ou pessoas que adormecem encostadas ao meu ombro. E nas escadas rolantes faço exactamente o mesmo que tu, até porque a ideia de ter o rabo das pessoas ali mesmo à mão me faz confusão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pessoas que adormecem ao nosso lado nos transportes, no nosso ombro, e que ressonam. E, o upgrade, pessoas que se babam a dormir nos transportes. QUe clássico!

      Eliminar
  9. Não é...e se te incomoda, de certo há uma solução.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me parece que seja essa...falando seriamente, se é algo que te atormenta, fala com um psicólogo.

      Eliminar
  10. Hummm...Problemas com a comunicação proxémica??

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Comunica%C3%A7%C3%A3o_prox%C3%AAmica

    http://www.priberam.pt/dlpo/Default.aspx?pal=prox%C3%A9mica

    Não faço tanto numas escadas rolantes, mas se há coisa que detesto são as pessoas que, enquanto falam connosco, tocam-nos que se farta (seja homem ou mulher) ou aquelas que colocam a cara a escassos 10cm da nossa (com estas fico doido, então!!).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Opá, este homem é um espectáculo! Não fosses casado já, e casava contigo, Nix! É mesmo isso, tenho problemas de comunicação proxémica! manda-me a conta :)

      Eliminar
    2. Tá dito, tá dito!! Olha que o Mundo dá muitas voltas e eu sou como o outro: desde que viu um porco a andar de bicicleta, acredita em tudo...lloooll ;))

      Esta é de borla, por conta das tuas dicas, que também dás aqui no teu "consultório".

      Bom FDS!!!!

      Eliminar
  11. E pessoas a falar e a "cuspir" perdigotos para a nossa cara? xD

    ResponderEliminar
  12. Também não gosto muito de ter pessoas coladas a mim seja nos transportes, seja em filas, seja onde for.

    Não deve ser por nada de mais, mas a mim, é uma questão de higiene. Começo logo a pensar em pessoas com microbios lol
    É, sou esquisita como o raio =P

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Higiene nos transportes, é coisa mais rara do que os famosos trevos de 4 folhas.

      Bjs!

      Eliminar
  13. Não entendo muito dessas coisas. Mas não será mais constragimento do que fobia? Uma vez que todas as situações que descreves se referem a desconhecidos... Entrar num elevador quase cheio é sempre constrangedor, bem como ter pessoas quase em cima de nós nos transportes públicos. Acho que qualquer ser humano fica constrangido. Eu fico, e não tenho problemas de proximidade - com as pessoas de quem gosto xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho dúvidas que seja assim. Se qualquer pessoa ficasse constrangida, não se viam por aí pessoas a invadir o espaço de pessoas que não conhecem, a torto e a direito.

      Eliminar
  14. Percebo-te, sofro do mesmo, costumo dizer que sou aversa a contactos físicos próximos :P, e só abro excepções para as pessoas que vivem no meu coração.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais. Diz a minha mãe que eu, desde pequena, não dava um beijinho a praticamente ninguém. Isto deve vir lá de trás, mesmo.

      bj

      Eliminar
  15. Há pessoas um bocadito abusadas que não respeitam o espaço pessoal de cada um. Todos temos esse espaço, e certas pessoas têm mais cm outras têm menos... Também me acontece um pouco.

    ResponderEliminar

Elaborai à vontade a tua teoria.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.